Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

lua e viola

lua e viola

14
Abr18

Maria da Conceição Paranhos

lua e viola

 

2.jpg

Maria da Conceição Paranhos, poeta baiana cuja poesia é um brinde ao bom gosto dos que amam essa arte. Essa é uma das minhas preferidas:

 
Preparei a casa para te esperar: 
procurei nos cantos o passado 
e engastei-o à soleira da porta, 
petrificado em dor, mas refulgente. 
 
Não foi necessário mudar de casa 
para te esperar. Bastou a tua vinda, 
ainda de madrugada, para que tudo mudasse, 
e a lua crescente surgisse ao meio dia. 

A cama está feita, a mesa está posta, 
nas compoteiras brilham sobremesas 
feitas para adoçarem a tua boca 
quando a vida amargar, travar-se o riso. 

Meu corpo não é o mesmo de ontem, 
mas é mais virgem, através das horas, 
que me apartaram de outros desejos 
dos quais me afasto, emigrada de mim mesma. 

Foi gratuito o teu chegar. Por isso fica: 
permanece em mim e esquece a lágrima. 
Te esperei para chamar-te "meu amor", 
embora ingressem em minha voz e corpo 

antigas sereias, com pentes de espelhos, 
a retrançar meus cabelos destrançados, 
e te convidem para o sábio mergulho 
onde habitaremos: nós e o tempo.


©Maria da Conceição Paranhos, Luz Inesperada 
(do livro Esporas do Tempo, Prêmio Copene, 
lançado no Museu Costa Pinto, Salvador, BA, 20.06.96)
 
 
 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D